Entrevistas


Histórias de sucesso #36: Gilvani Zardo – TJSE

Olá pessoal!

O histórias de sucesso de hoje é com Gilvani Zardo, aprovado no TJSE!

Ele gentilmente nos concedeu a entrevista que segue:

Nome: Gilvani Zardo          

Data de nascimento: 07/04/1985                

Naturalidade: Caxias do Sul/RS

01 - Concurso(s) para magistratura qual(is) foi aprovado:

R: Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe

02 - Outros concursos em que foi aprovado:

R: TRF1 (Analista Judiciário), TRE/MT (Analista Judiciário) e Polícia Civil do DF (Agente de Polícia).

03 - Período de estudos até a primeira aprovação em concursos de magistratura:

R: 07 (sete) anos.

04 - Trabalhou durante os estudos? Cargo?

R: Sim. Por 06 (seis) anos no cargo de Oficial de Gabinete no MPMT e por 01 (um) ano no cargo de Agente de Polícia na PCDF.

05 - Tempo médio de estudos diário:

R: 04 (quatro) horas.

06 - Quantas matérias diferentes lia por dia? E em uma semana?

R: Geralmente uma matéria por dia, mas primando, sempre, pelas matérias que tenho mais dificuldades e aquelas em que há cobrança mais acentuada nos concursos públicos.

07 - Estudava sábados/domingos/feriados?

R: Sim, mas sempre reservei um dia da semana para descanso.

08 - Utiliza grupos de facebook/whatsapp para estudar? Acredita que valha a pena?

R: Não.

09 - Fazia resumos/cadernos ou utilizava algum feito por outras pessoas?

R: Não.

10 - Fazia revisões do estudo? Com qual frequência?

R: Sim. A cada seis meses revisava o conteúdo, geralmente fazendo provas objetivas de concursos anteriores.

11 - Com qual frequência fazia exercícios para prova objetiva?

R: Durante a preparação para as provas objetivas, diariamente.

12 - Com qual frequência lia “lei seca”?

R: Durante a preparação para as provas objetivas, diariamente.

13 - Com qual frequência lia jurisprudência? Lia diretamente dos sites dos Tribunais Superiores ou através de outros sites (como dizer o direito ou EBEJI)?

R: Faço o acompanhamento de jurisprudência por meio dos sites do Tribunais, via sistema "push".

14 - Indicaria algum curso online com foco em magistratura/carreiras jurídicas?  Indicaria algum curso de oratória para a fase oral?

R: Para a fase oral indico o AEJUR, de Brasília/DF.

15 - Indica algum método diferenciado de estudos para alguma das fases (objetiva/discursiva/sentenças/oral)?

R: Para a fase objetiva, resolução de questões e leitura constante de lei seca; Para a discursiva e sentenças, acompanhamento da jurisprudência e treino da escrita com base em questões formuladas em provas anteriores; Para a fase oral, treino exaustivo da oratória e da postura, entendendo relevante o treinamento mediante a realização de simulados.

16 - Estudava a banca/examinadores responsável pela elaboração das provas da segunda fase em diante?

R: Não.

17 - Se o tribunal é responsável pela elaboração das sentenças e tem um posicionamento diverso do pacificado nos Tribunais Superiores, adotaria qual posicionamento?

R: Adotaria o posicionamento dos Tribunais Superiores, destacando a existência de entendimento diverso no Tribunal responsável pela elaboração das sentenças; Acredito que seja uma boa forma de garantir eventual recurso administrativo em caso de não aceitação da tese pelo Tribunal responsável pela elaboração das sentenças.

                                                         BIBLIOGRAFIA

Quais livros/autores ou cursos/cadernos indicaria para os estudos nas matérias abaixo:

R: Sempre busquei estudar por mais de uma doutrina, tentando entender a matéria e, com base na divergência de entendimentos, me posicionar pelo entendimento que me pareça mais correto. Ademais, acredito que cada pessoa deve buscar a forma de estudar que lhe seja mais propício, tanto que eu, por exemplo, não me adequei aos "esquematizados". Por isso, prefiro não fazer indicações.

Para quem se prepara para concursos da Magistratura, indico o livro "CONCURSO PARA A MAGISTRATURA: GUIA PRÁTICO", de autoria de Luiz Otávio Rezende, Editora JusPodivm.

Histórias de sucesso #35: Pedro Davi Alves de Vasconcelos - TJPB, MPPE e MPAL.

Olá pessoal!

O histórias de sucesso de hoje é com Pedro Vasconcelos, aprovado no TJPB, no MPPE e no MPAL!

Ele gentilmente nos concedeu a entrevista que segue:

Nome: PEDRO DAVI ALVES DE VASCONCELOS

Data de nascimento: 14/09/1982    

Naturalidade: PATOS/PB

Concurso(s) para magistratura qual(is) foi aprovado:

R: TJPB

Outros concursos em que foi aprovado:

R: MPPE e MPAL

Período de estudos até a primeira aprovação em concursos de magistratura:

R: Aproximadamente um ano e meio.

Trabalhou durante os estudos? Cargo?

R: Sim. Como Técnico Judiciário da JFRN/TRF5ª Região

Tempo médio de estudos diário:

R: 4 a 5 horas.

Quantas matérias diferentes lia por dia? E em uma semana?

R: 2 a 3 matérias

Estudava sábados/domingos/feriados?

R: Sim.

Utiliza grupos de facebook/whatsapp para estudar? Acredita que valha a pena?

R: Utilizei grupo whastapp, mas apenas para, nas horas vagas, ficar treinando ou aprendendo com as perguntas e respostas que fazíamos. Penso ser uma ferramenta acessória, limitada, em razão da grande possibilidade de dispersão para outros aplicativos.

Fazia resumos/cadernos ou utilizava algum feito por outras pessoas?

R: Nunca fiz resumos, mas utilizava outros. Os melhores, na minha avaliação, são os elaborados pelos candidatos na preparação para a prova oral. Para mim, são fundamentais e eficientes.

Com qual frequência fazia exercícios para prova objetiva?

R: Diariamente fazia uma prova (cem questões). Nos 15 dias que antecediam a prova objetiva, limitando o estudo apenas à resolução, fazia, por meio de site especializados, cerca de 600 questões diariamente: 200 em cada um dos 3 turnos.

Com qual frequência lia “lei seca”?

R: Para a prova objetiva, diariamente. Isso é fundamental e imprescindível Relegar tal leitura consiste num erro comum e decisivo para o insucesso na empreitada.

Com qual frequência lia jurisprudência? Lia diretamente dos sites dos Tribunais Superiores ou através de outros sites (como dizer o direito ou EBEJI)?

R: Destinava o mesmo tempo que era dispensado às matérias. Lia o informativo publicado nos tribunais e de sites especializados quando posteriormente disponibilizados. No final do ano sempre fazia uma revisão do que foi julgado. Considero o Dizer o Direito o melhor.

Indicaria algum curso online com foco em magistratura/carreiras jurídicas?  Indicaria algum curso de oratória para a fase oral?

R: Creio que essa escolha é muito pessoal. Eu, por exemplo, nunca fui adepto de cursos porque nunca gostei de assistir a aulas, o que me deixava muito disperso, não sendo muito proveitoso. Matriculei-me no curso extensivo anual do LFG, mas frequentei apenas uns 3 meses.

Em relação à oral, fiz algumas sessões com Tânia Casteliano, em João Pessoa, a qual indico com vistas à preparação psicológica para enfrentar a banca. Também fiz um curso preparatório ofertado pela Associação do MPPE voltado para a avaliação do concurso da própria Instituição. Sei que existem outros bem conceituados e caros, mas nunca os fiz.

Indica algum método diferenciado de estudos para alguma das fases (objetiva/discursiva/sentenças/oral)?

R: A exaustiva resolução de questões e treino.

Estudava a banca/examinadores responsável pela elaboração das provas da segunda fase em diante?

R: Sim.

Se o tribunal é responsável pela elaboração das sentenças e tem um posicionamento diverso do pacificado nos Tribunais Superiores, adotaria qual posicionamento?

R: Explicitaria os dois, mas adotaria, apenas para fins de avaliação, o adotado pelo tribunal local.

                                                              BIBLIOGRAFIA

Quais livros/autores ou cursos/cadernos indicaria para os estudos nas matérias abaixo (se possível, especificar o professor de cada matéria nos cadernos/cursos):

Direito Administrativo: Curso de Direito Administrativo – José dos Santos Carvalho Filho

Direito Ambiental –

Direito Civil:  Manual de Direito Civil Vol. Único – Flávio Tartuce

Direito Constitucional: Constituição Federal Para Concursos – Marcelo Novelino

Direito do Consumidor: Leis Especiais para Concursos – Direito do Consumidor – Leonardo de Medeiros

Direito do Eleitoral: Leis Especiais para Concursos – Direito do Consumidor – Leonardo de Medeiros

Direito Empresarial: Direito Empresarial Esquematizado - André Luiz Santa Cruz Ramos

Direito da Criança e do Adolescente –

Direito Penal – Parte Geral: Código Penal Para Concursos – Rogério Sanches

Direito Penal – Parte Especial do Código Penal: Código Penal Para Concursos – Rogério Sanches

Direito Penal – Legislação extravagante: Leis Especiais para Concursos – Juspodivm

Direito Processual Civil: CPC para Concursos – Rodrigo da Cunha Lima Leite

Direito Processual Penal:  CPP para Concursos – Nestor Távora

Direito Tributário: Direito Tributário Esquematizado – Ricardo Alexandre e Manual de Direito Tributário – Eduardo Sabbag

Humanística –

Sentença Cível: Sentença Cível – Nagibe de Melo Jorge Neto

Sentença Penal: Sentença Penal Condenatória – Ricardo Augusto Schmitt e Sentença Penal - Série Concursos - 4ª Ed. 2012 - José Paulo Baltazar Junior

Qualquer livro/curso que indique para o concurso que não se encaixa nas matérias acima: Julgados resumidos de 2012 a 2015, do Dizer o Direito; Vade Mécum da Rideel; e Juiz Federal – Alexandre Henry

 É isso! Até a próxima!

 

Histórias de sucesso #34: Renato Caldas do Valle Viana – TJBA e TJSE.

Olá pessoal!

Hoje o histórias de sucesso será com o amigo Renato Viana, aprovado no TJBA e no TJSE!

Ele gentilmente nos concedeu a entrevista que segue:

Nome: Renato Caldas do Valle Viana      

Data de nascimento: 07/01/1984

Naturalidade: Aracaju/SE 

1 - Concurso(s) para magistratura qual(is) foi aprovado:

R: TJBA e TJSE

2 - Outros concursos em que foi aprovado:

R: Procurador da FSPH/SE, Técnico Judiciário e Analista Judiciário do TJSE (1º lugar neste último)

3 - Período de estudos até a primeira aprovação em concursos de magistratura:

R: 06 anos

4 - Trabalhou durante os estudos? Cargo?

R: Sim. Desde o 6º período da universidade.

5 - Tempo médio de estudos diário:

R: 05 horas por dia.

6 - Quantas matérias diferentes lia por dia? E em uma semana?

R: 01 matéria por dia. 02 por semana no máximo.

7 - Estudava sábados/domingos/feriados?

R: Sim. Todos os dias, com poucas horas nos finais de semana (2 a 3), principalmente após o nascimento do meu filho.

8 - Utiliza grupos de facebook/whatsapp para estudar? Acredita que valha a pena?

R: Não. Fui acostumado a estudar individualmente. Acredito que se o grupo estiver no mesmo ritmo e souber dividir tarefas, talvez valha a pena.

9 - Fazia resumos/cadernos ou utilizava algum feito por outras pessoas?

R: Não fazia resumos, mas lia alguns que repassavam após atestar a qualidade do material.

10 - Fazia revisões do estudo? Com qual frequência?

R: Sim. As revisões eram feitas semanalmente por meio da realização de provas objetivas com maior concentração nos temas lidos mais recentemente.

11 - Com qual frequência fazia exercícios para prova objetiva?

R: Já cheguei a fazer diariamente para fixar a lei seca. No mês antecedente à prova objetiva também procurava fazer todos os dias.

12 - Com qual frequência lia “lei seca”?

R: Eu procurava memorizar e rever algum artigo de lei todos os dias. Apenas quando a leitura da jurisprudência ou de algum assunto doutrinário não permitia conciliar o tempo é que deixava de lado o vade mecum.

13 - Com qual frequência lia jurisprudência? Lia diretamente dos sites dos Tribunais Superiores ou através de outros sites (como dizer o direito ou EBEJI)?

R: Eu lia jurisprudência semanalmente e todos os dias na semana anterior à prova. Eu lia diretamente dos sites dos Tribunais Superiores e grifava os trechos importantes, separando os julgados em arquivos específicos a fim de retomar a leitura posteriormente.

14 - Indicaria algum curso online com foco em magistratura/carreiras jurídicas?  Indicaria algum curso de oratória para a fase oral?

R: Eu indicaria o Emagis, porque auxilia bastante na prática de segunda fase. Não fiz curso para a prova oral, mas colegas indicam o curso da Rogéria Guida.

15 - Indica algum método diferenciado de estudos para alguma das fases (objetiva/discursiva/sentenças/oral)?

R: Em todas as fases, entendo indispensável o conhecimento da lei seca, e a resolução de questões. É por meio das provas resolvidas que se descobre o perfil da banca, as suas deficiências, a necessidade de dedicar maior tempo a tal ou qual matéria.

16 - Estudava a banca/examinadores responsável pela elaboração das provas da segunda fase em diante?

R: Em concurso da magistratura federal esse estudo é mais comum. Já em concursos realizados pelo CESPE ou FCC, o estudava se dava a partir dos espelhos de provas anteriores.

17 - Se o tribunal é responsável pela elaboração das sentenças e tem um posicionamento diverso do pacificado nos Tribunais Superiores, adotaria qual posicionamento?

R: Eu sustentaria a posição do Tribunal Superior, e se tivesse conhecimento do entendimento do Tribunal local, revelaria o respeito ao entendimento desta Corte. No entanto, como a jurisprudência firmada pelo Tribunal Superior possui caráter uniformizante, deve ser observada pelos demais tribunais.

                                             

                                                         BIBLIOGRAFIA

 

Quais livros/autores ou cursos/cadernos indicaria para os estudos nas matérias abaixo (se possível, especificar o professor de cada matéria nos cadernos/cursos):

Direito Administrativo: Direito Administrativo Descomplicado - Marcelo Alexandrino e Vicente e Curso de Direito Administrativo – José dos Santos Carvalho Filho

Direito Ambiental: Direito Ambiental Esquematizado – Frederico Amado

Direito Civil: Sinopses Juspodivm, Saraiva e Manual de Direito Civil Vol. Único – Flávio Tartuce

Direito Constitucional: Curso de Direito Constitucional – Bernardo Gonçalves / Direito Constitucional Esquematizado – Pedro Lenza

Direito do Consumidor:  Leis Especiais para Concursos – Direito do Consumidor – Leonardo de Medeiros

Direito  Eleitoral: Direito Eleitoral – José Jairo Gomes

Direito Empresarial: Direito Empresarial Esquematizado - André Luiz Santa Cruz Ramos

Direito da Criança e do Adolescente: Lei Seca

Direito Penal – Parte Geral: Curso de Direito Penal – Parte Geral – Rogério Greco

Direito Penal – Parte Especial do Código Penal: Curso de Direito Penal – Parte Especial – Rogério Greco

Direito Penal – Legislação extravagante: Leis Penais Especiais Comentadas – Rogério Grec

Direito Processual Civil: Curso de Direito Processual Civil – Fredie Didier / O Novo Processo Civil Brasileiro – Alexandre Câmara

Direito Processual Penal: Manual de Processo Penal e Execução Penal – Guilherme Nucci /  Processo Penal Esquematizado – Norberto Avena

Direito Tributário: Direito Tributário Esquematizado – Ricardo Alexandre

Humanística: Vade Mecum Humanístico – Ed. Método

Sentença Cível: Sentença Cível – Teoria e prática – Nagibe de Melo

Sentença Penal: Sentença Penal Condenatória – Ricardo Augusto Schmitt – Ed. Juspodivm

É isso! Até a próxima!

Histórias de sucesso #33: Vitor França Dias Oliveira – TJGO e PFN.

Olá pessoal!

Hoje o história de sucesso é com Vitor França, aprovado no TJGO e na PFN!

Ele gentilmente nos concedeu a entrevista que segue:

Nome: Vitor França Dias Oliveira

Data de nascimento: 06/07/1989

Naturalidade: Goiânia/GO

Concurso(s) para magistratura qual(is) foi aprovado:

R: TJGO

Outros concursos em que foi aprovado:

R: Analista Judiciário do TRF1 e Procurador da Fazenda Nacional

Período de estudos até a primeira aprovação em concursos de magistratura:

R: Aproximadamente 5 anos.

Trabalhou durante os estudos? Cargo?

R: Sim, nos cargos de analista judiciário por aproximadamente 7 meses e como Procurador da Fazenda Nacional por cerca de 3 anos.

Tempo médio de estudos diário:

R: Variável, mas, em média, 10-12 horas por dia.

Quantas matérias diferentes lia por dia? E em uma semana?

R: Duas matérias por dia, com aproximadamente onze por semana.

Estudava sábados/domingos/feriados?

R: Estudava aos sábados pela manhã. Ao passar para as etapas posteriores do concurso, comecei a estudar aos sábados à tarde e aos domingos pela manhã.

Utiliza grupos de facebook/whatsapp para estudar? Acredita que valha a pena?

R: Utilizava. Acredito que valham a pena, mas é preciso ter muita cautela e reunir pessoas efetivamente comprometidas.

Fazia resumos/cadernos ou utilizava algum feito por outras pessoas?

R: Fazia meus próprios resumos. Se há uma dica de ouro que eu poderia dar é esta: “faça seus próprios resumos”. Estudar com o próprio material condensado facilita a memorização.

Fazia revisões do estudo? Com qual frequência?

R: Fazia revisões praticamente todos os dias. Após um ano e meio de estudo eu praticamente só revisava, acrescentando poucas coisas como novidade.

Com qual frequência fazia exercícios para prova objetiva?

R: Diariamente.

Com qual frequência lia “lei seca”?

R: Diariamente.

Com qual frequência lia jurisprudência? Lia diretamente dos sites dos Tribunais Superiores ou através de outros sites (como dizer o direito ou EBEJI)?

R: Uma vez por semana consultava o site do dizerodireito.

Indicaria algum curso online com foco em magistratura/carreiras jurídicas?  Indicaria algum curso de oratória para a fase oral?

R: FC3.

Indica algum método diferenciado de estudos para alguma das fases (objetiva/discursiva/sentenças/oral)?

R:

Estudava a banca/examinadores responsável pela elaboração das provas da segunda fase em diante?

R: Não. Pautava meus estudos de maneira mais genérica, para concursos em geral.

Se o tribunal é responsável pela elaboração das sentenças e tem um posicionamento diverso do pacificado nos Tribunais Superiores, adotaria qual posicionamento?

R: Constaria o entendimento do Tribunal Superior, mas me filiaria ao entendimento do Tribunal estadual e explicitaria minhas razões.

                                                       BIBLIOGRAFIA

 

Quais livros/autores ou cursos/cadernos indicaria para os estudos nas matérias abaixo (se possível, especificar o professor de cada matéria nos cadernos/cursos):

Direito Administrativo – Vicente Paulo e Marcelo Alexandrino

Direito Ambiental – Édis Milaré

Direito Civil – Maria Helena Diniz

Direito Constitucional – Bernardo Gonçalves

Direito do Consumidor – Felipe Peixoto Braga Netto

Direito do Eleitoral –

Direito Empresarial – André Luiz Santa Cruz Ramos

Direito da Criança e do Adolescente – Luciano Alves Rossato, Lépore e Sanches

Direito Penal – Parte Geral – Cléber Masson

Direito Penal – Parte Especial do Código Penal – Cléber Masson

Direito Penal – Legislação extravagante – Renato Brasileiro

Direito Processual Civil – Daniel Assumpção Amorim Neves

Direito Processual Penal – Renato Brasileiro

Direito Tributário – Ricardo Alexandre e Mizabel Derzi para aprofundamento

Humanística –

Sentença Cível – Elpídio Donizete (livro difícil de encontrar)

Sentença Penal –

É isso! Até a próxima!

Histórias de sucesso #32: Bruno Querino Olimpio - TJSE, TJPE, DPRN e MPPE

Olá pessoal!

O histórias de sucesso de hoje é com Bruno Olimpio, aprovado no TJSE, TJPE, DPRN e no MPPE!

Ele gentilmente nos concedeu a entrevista que segue:

Nome: Bruno Querino Olimpio

Data de nascimento: 19-04-1983

Naturalidade: Natal-RN

Concurso(s) para magistratura qual(is) foi aprovado:

R: TJPE e TJSE

Outros concursos em que foi aprovado:

R: MPPE e DPRN

Período de estudos até a primeira aprovação em concursos de magistratura:

R: 3 anos estudando focado mesmo para concurso, de 2012 a 2015 (TJPE), mas nunca deixei de me manter atualizado desde que me formei em 2007. Sempre gostei de ler livros de um tema só (Elementos de Direito Constitucional, Poderes Instrutórios do Juiz etc.) porque acredito que me daria mais conhecimento para as fases posteriores à objetiva.

Trabalhou durante os estudos? Cargo?

R: Sempre trabalhei 7 a 8 horas por dia no cargo de Assessor de Vara Cível, depois de Vara Criminal e hoje de Juizado Especial.

Tempo médio de estudos diário:

R: De 3 a 4 horas por dia, mas reforçava nos finais de semana por ter mais tempo livre. Contudo, nunca deixei de ter momentos de lazer, seja com minha família ou amigos, ou de fazer atividade física, academia, corridas ou peladas de futebol.

Quantas matérias diferentes lia por dia? E em uma semana?

R: Por dia somente lia uma matéria, mas sempre estudei três matérias por semana. Por exemplo, sempre usei três livros ao mesmo tempo para estudar, fazendo resumos em caderno. Quando vencia um livro, já incluía outro na pauta.

Estudava sábados/domingos/feriados?

R: Sim, porque quem trabalha esse tempo livre é precioso.

Utiliza grupos de facebook/whatsapp para estudar? Acredita que valha a pena?

R: Não tenho Face, apenas Whats. Acho que vale a pena o Instagram, tem dicas curtas muito legais.

Fazia resumos/cadernos ou utilizava algum feito por outras pessoas?

R: Sempre fiz meus resumos em cadernos, porque colocava o que achava essencial.

Fazia revisões do estudo? Com qual frequência?

R: Sempre revisei os cadernos de resumos, a cada três meses, e sempre antes das provas.

Com qual frequência fazia exercícios para prova objetiva?

R: Tirava no mínimo um dia da semana só pra fazer questões.

Com qual frequência lia “lei seca”?

R: Sempre li doutrina junto com lei seca. Mas antes de prova objetiva enfatizava lei seca.

Com qual frequência lia jurisprudência? Lia diretamente dos sites dos Tribunais Superiores ou através de outros sites (como dizer o direito ou EBEJI)?

R: Acompanho jurisprudência diariamente, nas notícias dos sites dos Tribunais e sobretudo no sítio Dizer o Direito.

Indicaria algum curso online com foco em magistratura/carreiras jurídicas?  Indicaria algum curso de oratória para a fase oral?

R: Emagis e, para a prova oral, gostei muito do Vocabulum de Recife.

Indica algum método diferenciado de estudos para alguma das fases (objetiva/discursiva/sentenças/oral)?

R: Não. Só utilizei os mencionados acima.

Estudava a banca/examinadores responsável pela elaboração das provas da segunda fase em diante?

R: Às vezes. Mas acho muito importante. No TJAP, por exemplo, fui reprovado na sentença penal tratando de crimes sexuais, quando um dos examinadores tinha um livro sobre o tema e eu só vim saber depois.

Se o tribunal é responsável pela elaboração das sentenças e tem um posicionamento diverso do pacificado nos Tribunais Superiores, adotaria qual posicionamento?

R: O do Tribunal local, mas fazendo referência ao do Tribunal Superior.

 

                                                        BIBLIOGRAFIA

Quais livros/autores ou cursos/cadernos indicaria para os estudos nas matérias abaixo (se possível, especificar o professor de cada matéria nos cadernos/cursos):

Direito Administrativo – Alexandre Mazza, da Saraiva.

Direito Ambiental – Coleção Leis Especiais para Concursos, da Juspodivm.

Direito Civil – Manual de Direito Civil, de Flávio Tartuce.

Direito Constitucional – Curso, de Marcelo Novelino.

Direito do Consumidor – Coleção Leis Especiais para Concursos, da Juspodivm.

Direito do Eleitoral – Sinopse para Concursos, da Juspodivm.

Direito Empresarial – Esquematizado, da Método, de André Santa Cruz.

Direito da Criança e do Adolescente – Sinopse para Concursos da Juspodivm.

Direito Penal – Parte Geral – Esquematizado, da Saraiva, Coleção Pedro Lenza.

Direito Penal – Parte Especial do Código Penal – Esquematizado, da Saraiva, Coleção Pedro Lenza.

Direito Penal – Legislação extravagante -  Coleção Leis Especiais para Concursos, da Juspodivm.

Direito Processual Civil - Esquematizado, da Saraiva, Coleção Pedro Lenza.

Direito Processual Penal – Esquematizado, da Método, de Norberto Avena.

Direito Tributário – Manual, da Saraiva, de Eduardo Sabbag.

Humanística – Fábio Natali, da LTR.

Sentença Cível – Nagibe de Melo, da Juspodivm.

Sentença Penal – Sentença Penal, da Juspodivm, de Ricardo Augusto. Fiz um curso no Emagis também.

Qualquer livro/curso que indique para o concurso que não se encaixa nas matérias acima:

Gostei muito do Revisaço da Juspodivm e do livro de julgados do Dizer o Direito.

É isso! Até a próxima!

 

Histórias de sucesso #31: Leonardo Mattedi Matarangas – TJAM

Olá pessoal!

Hoje o histórias de sucesso é com Leonardo Mattedi, aprovado no TJAM!

Ele gentilmente nos concedeu a entrevista que segue:

Nome: Leonardo Mattedi Matarangas

Data de nascimento: 07/09/1985

Naturalidade: Vitória - ES

Concurso(s) para magistratura qual(is) foi aprovado:

R: TJ/AM

Outros concursos em que foi aprovado:

R: Advogado dos Correios, Advogado Dataprev, AJAJ do TRE/GO

Período de estudos até a primeira aprovação em concursos de magistratura:

R: 4 anos

Trabalhou durante os estudos? Cargo?

R: Sim, Assessor do Defensor Público-Geral Federal

Tempo médio de estudos diário:

R: 4 horas líquidas no cronômetro

Quantas matérias diferentes lia por dia? E em uma semana?

R: 2 matérias por dia. 6 matérias por semana.

Estudava sábados/domingos/feriados?

R: Sim

Utiliza grupos de facebook/whatsapp para estudar? Acredita que valha a pena?

R: Apenas grupos de Whatsapp. Acredito que sim, mas deve haver cautela no uso e muito foco.

Fazia resumos/cadernos ou utilizava algum feito por outras pessoas?

R: Não. Estudava por livros. Em menor frequência por apostilas.

Com qual frequência fazia exercícios para prova objetiva?

R: 3 vezes por semana

Com qual frequência lia “lei seca”?

R:  3 vezes por semana a leitura seca, porém utilizava os dias de exercícios para fazer leitura dos artigos cobrados nas questões. Quase todos os dias tinha contato com a “lei seca”.

Com qual frequência lia jurisprudência? Lia diretamente dos sites dos Tribunais Superiores ou através de outros sites (como dizer o direito ou EBEJI)?

R: Leitura “religiosa” do Dizer o Direito no site, toda semana. Utilizava o VADEMECUM de jurisprudência deles com o resumo dos informativos para revisar.

Indicaria algum curso online com foco em magistratura/carreiras jurídicas?  Indicaria algum curso de oratória para a fase oral?

R: Curso de Oratória – Rogéria Guida

Indica algum método diferenciado de estudos para alguma das fases (objetiva/discursiva/sentenças/oral)?

R:

Estudava a banca/examinadores responsável pela elaboração das provas da segunda fase em diante?

R: Pouco estudo de bancas. Apenas fui aprovado em provas CESPE e FCC para etapas discursivas.

Se o tribunal é responsável pela elaboração das sentenças e tem um posicionamento diverso do pacificado nos Tribunais Superiores, adotaria qual posicionamento?

R: Não tenho posição firmada sobre o tema. Acredito, todavia, que me manteria firme na posição dos tribunais superiores.

Leonardo preferiu não indicar bibliografia, pois entendeu que trata-se de uma escolha pessoal.

Até a próxima!

Histórias de sucesso #30: Roberta Campos Corrêa – TJSE

Olá pessoal! O histórias de sucesso de hoje é com a grande amiga Roberta, aprovada no TJSE! Roberta foi uma figura muito importante na minha preparação para o concurso do TJSE, pois formamos com Marina um grupo de treinos, discussão jurídica e apoio para a desgastante reta final do concurso (que, graças a Deus, deu muito certo)! Ela gentilmente nos concedeu a entrevista que segue:

Leia mais...